Como videógrafo de casamentos a minha ambição é a de criar filmes que vocês queiram ver vezes sem conta. Eu sei que, à primeira vista, parece um objectivo pouco ambicioso; afinal de contas como casal, vão sempre gostar do vosso filme. No entanto, tendo em conta a imagem que todos nós temos dos tradicionais filmes de casamentos, tudo o que eu quero é que vocês adorem o filme, que se revejam nele e que tenham vontade e o revisitar daqui a uns anos.

Mais do que serem bons videos de casamentos, eu quero que eles sejam bons filmes. Poucas coisas me fazem mais feliz do que ouvir feedback dos meus casais dizendo que adoraram o filme e que contratarem-me foi uma das melhores decisões que tomaram.

Embora passe o ano a filmar e editar videos de casamentos, eu não me vejo como um videógrafo de casamento, embora na prática acabe por assim me designar. Eu gosto de abordar um casamento como se estivesse a filmar algo para o cinema, como um cineasta: eu produzo, filmo e edito os meus na totalidade. Nesse sentido, é um projeto totalmente pessoal e para mim é importante que assim se mantenha.

Apesar de o ano ter mais de 50 fins de semana, eu aceito apenas um número limitado de casamentos. Para mim, é importante que, sendo eu a filmar, seja também eu a editar para manter o estilo e a abordagem consistente que os meus clientes procuram.

Cada casal é único e merece um filme único. Contar a história de um casal num filme de casamento não implica filmar tudo e mais um par de botas. É importante filmar o que conta a historia. Obviamente que as partes mais importantes estão asseguradas. É claro que tenho uma brochura de preços, mas cada filme que faço é uma comissão diferente de qualquer outra. Meus filmes são minha opinião sobre sua história de amor e sua história de amor é, por definição, única.